Evento celebra empoderamento da mulher negra e diversidade racial no Rio de Janeiro

Evento celebra empoderamento da mulher negra e diversidade racial no Rio de Janeiro

Cerca de 100 pessoas se reuniram, na última quarta-feira, dia 06, no Lapa 40°, no Rio de Janeiro,  para celebrar o lançamento da Campanha Cada Tom Com sua Beleza, que visa o resgate e empoderamento da mulher negra e a diversidade racial.

Entre os convidados atrizes globais que cederam suas imagens para a campanha como Érika Januza, Eliza Lucinda, Juliana Alves, Zezé Mota, Isabel Fillardis e a cantora Watusi que levantaram questões sobre a importância da mulher negra na sociedade e da aceitação de sua beleza natural.

Isabel Filardis, sempre presente em causas sociais, e acompanhada de sua mãe Sonia Filardis e da filha Analuz, ressaltou a importância do empoderamento desde a infância. “Essa autoestima deve ser cultuada desde a infância. É um problema muito profundo, mas que hoje, graças a Deus, estamos discutindo o assunto. Enquanto o Brasil se negou a admitir ser racista, não poderíamos lutar. Hoje o Brasil sabe que é racista. E é importante que seja discutido”, disse.

Watusi, que este ano completa 40 anos de carreira, sendo que foi a primeira mulher negra a estrelar no Moulin Rouge, de Paris, contou sobre as dificuldades que enfrentou durante sua trajetória, destacando que campanhas como estas são necessárias para dar visibilidade a causa da negrituda feminina. No final,  interpretou à capela ‘No je ne regrette rien’ de Edith Piaf, provando que sua  continua linda e potente.

Já o produtor cultural Jorge Gomes lembrou da socióloga e psicanalista Virgínia Bicudo como símbolo de força e luta contra o racismo. “Buscou no academicismo as razões para o empoderamento  de uma mulher independente  de sua etnia, sua beleza, ou classe social”.

A campanha, uma iniciativa do cirurgião plástico Thiago Souza visa desenvolver através do Projeto Aisha (Vida, em Yorubá) vários segmentos de trabalho com mulheres, crianças e adolescentes negras em situação de carência profissional e psicológica. “Eu sou um homem que lido diariamente com o conceito do belo e se tratando da beleza negra, sabemos o quanto é diversificada. Temos tantos tons de pele e precisamos ter orgulho desta melanina. São mulheres lindas. que precisam sentir-se fortes e empoderadas” falou Souza.

Estiveram presentes também ativistas do movimento negro como Mônica Cunha, da ONG Criola e Denise Rosa, da Casa Brasil-Nigéria, além da diretora da Agência Merci, parceira da campanha e suas modelos.